meu cadastro Login

Cultura e Entretenimento > Glossário de sânscrito

Áchárya
Instrutor laico que não tenha o título de swámi, nem de saddhu, etc.; seguidor de algum sistema comportamental.


Ádi, ády
(a letra i final transforma-se em y quando a próxima sílaba ou palavra começar com vogal.) Fundamental. Ádyásana, posição fundamental (em pé); plano ádi, o mais elevado, do qual se originaram os demais; ády ashtánga sádhana, o primeiro ashtánga sádhana, o fundamental.


Agni
Fogo, um dos quatro elementos da Natureza.


Ájña
Comando, nome do chakra ou centro de força situado entre as sobrancelhas.


Ákásha
Éter. O quinto elemento da Natureza (na divisão esotérica).


Ánanda
Bem-aventurança, graça divina, felicidade inefável.


Ánanda máyá kôsha
Corpo ilusório feito de bem-aventurança; corresponde ao búdico da Teosofia. Para nós é denominado intuicional.


Anga
Parte, membro, etapa. Na prática regular de SwáSthya Yôga é como se denominam as oito partes ou oito feixes de técnicas que constituem o ashtánga sádhana (mudrá, pújá, mantra, pránáyáma, kriyá, ásana, yôganidrá, samyama).


Angushtha
Dedo maior do pé.


Anna
Alimento físico.


Anna máyá kôsha
Corpo ilusório feito de alimentos; é o corpo físico denso.


Anupádaka
O plano universal imediatamente abaixo do ádi e acima do monádico.


Apána
Um dos cinco pránas. Este tem polaridade negativa, está situado na região do ânus, comanda a atividade excretora e é de cor roxo-alaranjado.


Ásana
Posição ou técnica corporal do Yôga, complementada por uma atitude interior, mentalização, respiração específica e ritmo. Não pode ser confundida com nenhum tipo de ginástica, nem pertence ao domínio da Educação Física.


Átman
Alma ou, noutro sentido, espírito. Refere-se à mônada, a chispa divina presente em cada ser humano. É um conceito Vêdánta que corresponde ao Púrusha do Sámkhya.


AUM
As três letras com que se escreve o mantra ÔM. Representam os três aspectos do absoluto: Brahmá, Vishnu e Shiva. Pronuncias-e ÔM (veja o áudio do ÔM mais abaixo). É erro crasso pronunciar as três letras.


Baddha
Ligado, condicionado. Um ásana tem esse prefixo geralmente quando tem um ou os dois braços enlaçando as costas ou um membro inferior.


Bandha
Fecho, contração ou compressão de plexos e glândulas.


Bhadra
Virtuoso, puro, prudente, excelente, sábio.


Bhakta
Devoto.


Bhakti
Devoção. Nome de um dos ramos do Yôga.


Bhastriká
Fole. É o nome de um respiratório acelerado, ótimo para hiperventilar.


Bháva
sentimento; outro nome de Shiva.


Bhavan
casa, lugar, local.


Bhêga
Rã.


Bhuj
gozar.


Bhuja
braço.


Bhujanga
Naja. Esta palavra é traduzida universalmente em países de língua portuguesa como “cobra”. Trata-se de um equívoco perpetrado pelos primeiros tradutores e que se perenizou. O termo cobra (“côbra”) em inglês ou espanhol, designa a naja.


Bíja
Semente.


Brahmá
Primeiro Aspecto da Trindade Divina hindu; o Criador; o Pai.


Buddhi
Algumas vezes traduzido como intelecto é, mais apropriadamente, a intuição.


Catus ou chatus
Quatro.


Chakra
Roda, círculo; centros de força situados em todo o corpo humano e especialmente ao longo da coluna vertebral, onde se encontram os sete principais.


Chandra
Lua.


Chêla
Discípulo.


Dakshinah
Lado direito.



Proteger.


Dêva
Divindade.


Dêvadatta
Dádiva divina.


Dêví
Deusa.


Dhanura
Arco.


Dháraná
Concentração.


Dhyána
Meditação.


Dôla
Balanço.


Dwa ou dva
Dois.


Êka
Um.


Gangá
Nome do Rio Ganges.


Garbha
Seio; matriz; ovo, germe, embrião, fruto.


Gáruda
Ave gigantesca mencionada no Rámáyána e que serve de montaria a Vishnu.



Vaca.


Gôkarna
Literalmente, orelha de vaca. Lugar de peregrinação consagrado a Shiva, nas redondezas de Bangalore.


Gômukha
Cara de vaca.


Guna
Qualidade.


Gunatraya
Nome conjunto dos três gunas: tamas, rajas e sattwa.


Guru
Segundo o Dicionário Houaiss: líder carismático; mestre influente; mentor respeitado; guia, pessoa que orienta ou aconselha. Etimologicamente, gurú significa: venerável, pessoa grave. Instrutor, professor ou Mestre de qualquer disciplina (música, dança, lutas, filosofia, línguas, etc.). Termo em desuso no Ocidente devido ao desvirtuamento popular, mas perfeitamente adequado na Índia.


Hala
Arado.


Ham
Bíja mantra do vishuddha chakra.


Hamsa
Cisne. Símbolo associado a Brahmá.


Hanuman
O deus-mono do Rámáyána, general do exército de Ráma.


Harê
Outro nome de Vishnu.


Hasta
Mão.


Hastina
Elefante.


Hata
estupro, assassinato.


Hatha
Violência, força, rapina. Se pronunciar “hata”, sem o TH, significa: uma mulher estuprada; destruído, atormentado, castigado, acabado, miserável, assassinado, surrado, golpeado, ferido, aflito, sem esperança, arruinado, deserdado, etc.


Idá
Uma das principais nádís do corpo energético, de polaridade negativa.


Íshwara
Senhor; segundo Mircea Éliade, é o arquétipo do yôgi.


Jalándhara
Nome do bandha da tireóide.


Jánus
Joelho.


Japa
Repetição; prática que consiste na repetição do mantra.


Jíhva
Língua.


Jíva
Homem vivente; “Eu” humano; princípio vital, Ser, alma ou espírito individual; criatura. Não confundir com jíhva, língua.


Jívátman
Que vence o Eu; o que se vence ou domina a si mesmo; noutro sentido é a alma encarnada.


Jñána
Conhecimento; nome de um mudrá; nome de um ramo do Yôga.


Káka
Corvo.


Kálí
a negra. nome de uma das esposas de Shiva.


Kama
Sentimento, desejo, paixão.


Kama
máyá kôsha Corpo ilusório feito de sentimentos; o corpo astral ou emocional.


Kapála
Crânio.


Kapálabhati
Crânio brilhante, nome de um respiratório yôgi que também pode ser classificado como kriyá.


Karaní
Corpo.


Karma
Ação; Lei Universal de Causa e Efeito, algo como um destino maleável; nome de um ramo do Yôga.


Kôna
Ângulo.


Krama
Marcha, andamento.


Krishna
O mais célebre Avatar de Vishnu, o Salvador dos hindus.


Kriyá
Atividade, purificação. Nome de certa classe de exercícios de limpeza dos órgãos internos; nome de um ramo do Yôga.


Kukkuta
Galo.


Kúmbhaka
Retenção do alento, com ar nos pulmões. Nome genérico dos respiratórios ritmados.


Kundaliní
Serpentina, enroscada. É termo feminino por ser o Poder Ígneo, de natureza feminina, isto é, de polaridade negativa. Kundaliní é uma energia física, de natureza neurológica e manifestação sexual. Deve ser escrito com acento no último í e pronunciado sempre com a última sílaba longa.


Kúrma
Tartaruga.


Lam
Bíja do chakra múládhára.


Laya
Dissolução. Uma forma de Yôga muito semelhante ao Kundaliní Yôga. No Brasil o que existe é a laya yóga, uma variedade criada aqui mesmo, por um conceituado Mestre da década de 60 do século XX, que não tem nenhuma semelhança com o Laya Yôga tradicional.


Linga
Falo, pênis. É símbolo do poder criador de Shiva. Seu desenho se encontra nos três principais chakras, nos quais situam-se os granthis ou nós: múládhára chakra, anáhata chakra e ájña chakra. Trata-se de um dos mais antigos e reverenciados símbolos do Hinduísmo shaiva.


Lôla
Fricção ou balanço.


Madhyama
Centro, central; médio.


Makara
Crocodilo.


Manas
Mente.


Mandala
Símbolo complexo e labiríntico, geralmente composto por círculos (concêntricos ou não). Segundo Jung, deve ser dividido em quatro ou múltiplo de quatro.


Manipura
Cidade da jóia (mani, jóia; pura, cidade). Traduzido por alguns “brilhante como uma jóia”. Nome do chakra ou centro de força situado próximo ao plexo solar.


Manô máyá kôsha
Corpo ilusório feito de pensamentos. O quarto corpo ou veículo de manifestação do Homem, a contar do mais denso para o mais sutil. Corresponde ao corpo mental concreto das filosofias ocultistas ocidentais.


Mantra
Vocalização de uma letra, sílaba, palavra, frase ou texto, com ou sem notas musicais, cujo potencial vibratório produz determinados efeitos em um ou mais planos do Universo, dentro e fora do ser humano.


Manús
Os legisladores ou sábios arcaicos que levaram para a região hoje ocupada pela Índia as ciências, artes e filosofias originárias de uma civilização anterior.


Matsya
Peixe.


Matsyêndra
Rei dos peixes (tradução figurada). Termo criado pela fusão de matsya, peixe, com Indra, nome de uma divindade ariana; nome que tomou o peixe que observara Shiva ensinando Yôga, pusera em prática tais técnicas e evoluíra até tornar-se um ser humano. Nome adotado mais tarde, no século XI, por Matsyêndra Natha, fundador da escola Kaula, de Tantra. Dessa linhagem surgiu o Mestre Gôraksha Natha, que foi quem fundou o Hatha Yôga.


Mayúra
Pavão, símbolo de Krishna.


Mêru
O monte sagrado que representa o centro do mundo.


Mêrudanda
Nome dado à coluna vertebral (Uttar Gítá, 11,13,14).


Mudrá
Gesto ou selo. São gestos reflexológicos e magnéticos feitos com as mãos e dedos. Em alguns tipos de Yôga, admite-se que possam ser feitos mudrás com o corpo. No SwáSthya Yôga, as técnicas feitas com o corpo denominam-se sempre ásana, e com as mãos, mudrá.


Múla
Raiz. Região da base da coluna vertebral, próxima aos órgãos excretores.


Múla bandha
Contração dos esfíncteres do ânus e da uretra.


Múládhára
O suporte da raiz. Nome do chakra situado na base da coluna vertebral.


Náda
Som.


Nádí
Rio, torrente ou corrente. Canais do corpo energético, análogas aos meridianos da acupuntura.


Nama
Nome.


Namah ou namaha
Saudação.


Namaskára
Uma forma popular de saudação, equivalente a bom dia, boa tarde ou boa noite.


Namastê
Outra forma popular de se cumprimentar. Significa apenas bom dia, boa tarde ou boa noite. Cuidado com supostas traduções agradavelmente poéticas, mas que não são verdadeiras e que se encontram muito difundidas na literatura do Yôga ocidental.


Naságra
Nariz.


Natarája
Rei dos bailarinos. Uma das formas de Shiva. O nome do ásana que faz alusão a esse aspecto de Shiva.


Natashíra
Nata: bailarino; shíra, cabeça (variação de síra, shírsh, ou shírsha).


Nauli
Contração abdominal dinâmica, isolando o grande reto abdominal e fazendo-o movimentar-se.


Nirôdhah
Impedimento, obstrução; cessação, suspensão, supressão, interrupção, interceptação, parada, controle.


Nirvana
Segundo o budismo, é o plano mais elevado de consciência. Equivale ao plano átmico do Vêdánta. Em tempo: o budismo não tem nada a ver com o Yôga. Budismo é uma religião e o Yôga uma filosofia. O Yôga é uma das seis filosofias formais do Hinduísmo e o budismo é classificado como uma heresia do Hinduísmo.


Nirvi
Nada.


Niyama
As cinco prescrições de ordem ética que vão complementar as cinco proscrições e formar os dez mandamentos do Yôga. É o segundo dos oito passos do Yôga de Pátañjali.


Ôjas
Energia produzida pelo aproveitamento da força sexual.


ÔM
O Absoluto. É o mais poderoso de todos os mantras. É também o símbolo universal do Yôga e do Hinduísmo, para todo o mundo, todas as épocas e todas as escolas. Escrevese com três letras: A, U, M. Cuidado para não pronunciar essas letras separadamente, pois isso seria equivalente a pronunciar o termo francês chateau lendo-se como se escreve!


Páda
Pata, pé; passo, senda. Capítulo de um livro.


Padma
Lótus. Outra palavra para designar os chakras. Padmásana: nome da posição sentada de meditação, com as pernas firmemente cruzadas.


Pádôtthita
Soerguimento do corpo num só pé.


Parshwa
Próximo; flanco.


Párvata
Montanha.


Paschimôttana
Distensão posterior.


Pingalá
Uma das principais nádís do corpo energético, de polaridade positiva.


Prakrití
A Natureza em geral; a Natureza em contraposição ao Púrusha; a matéria em ontraposição ao espírito.


Prána
Bioenergia.


Prána máyá kôsha
Corpo ilusório feito de bioenergia. O segundo corpo ou veículo de manifestação, chamado também de etérico, vital, duplo, energético ou pránico.


Pránáyáma
Expansão da bioenergia. Designa as técnicas respiratórias. Constitui o quarto passo do Yôga de Pátañjali e também o quarto passo do ády ashtánga sádhana (primeira prática de iniciantes) no SwáSthya Yôga.


Pratyáhára
Abstração dos sentidos externos. Quinto passo do Yôga de Pátañjali.


Prêma
Amor, afeto, carinho.


Prishtha
Retorcido.


Púraka
Inspiração do ar; uma fase do pránáyáma.


Purána
Primordial, antiguidade. Nome de um tipo de escritura hindu. Nome de um ásana do Yôga.


Púrna
Pleno, cheio, integral.


Púrnam
o ÔM.


Púrusha
Mônada, homem, o nome da chispa divina na filosofia Sámkhya, que equivale ao termo átma na filosofia Vêdánta.


Rája
Rei, real.


rája
real.


Rajas
Movimento, atividade, dinamismo.


Ram
Bíja mantra do chakra manipura.


Ráma
Nome de um Avatar da Índia clássica. Às vezes, aparece com a grafia da palavra anterior, devido a uma corruptela freqüente na Índia.


Rêchaka
Expiração do ar; uma fase do pránáyáma.


Sádaka
exaustivo.


Sádana
exaustão.


Sádhaka
Praticante.


Sádhana
Prática, ritual.


Sahásrara
O sétimo e mais elevado dos sete chakras principais. Em alguns textos ele não é considerado um chakra por ser tão distinto dos demais. Chamado chakra de mil pétalas, é situado no alto da cabeça. Uma vez desperto, produz o samádhi.


Samádhi
Hiperconsciência, estado de graça, identificação com o Absoluto. É o oitavo e último passo do Yôga de Pátañjali. Está compreendido no samyama, oitavo anga do ády ashtánga ádhana do SwáSthya Yôga.


Samána
Um dos cinco pránas, situado na região gástrica.


Sannyása
Renúncia.


Sannyásin
Renunciante. Diz-se daqueles que desapegaram totalmente do corpo, da vida, do sexo, do dinheiro, enfim, de todos os laços, dos frutos das ações e dos haveres.


Sarvánga
Sarva: tudo; anga: parte.


Sat
Ato de ser, existência, Ser. Radical da palavra satya, verdade, pode apresentar o sentido de autenticidade. Sat chêla, um discípulo autêntico, o melhor discípulo; Sat guru, o Mestre de mais alto grau em uma entidade.


Sat chakra
modalidade de sat sanga em círculo.


Sêvá
estar a serviço de; intercurso sexual com; reverência.


Shaktí
Energia, força. Por extensão, esposa ou companheira no sádhana tântrico. É também um nome ou qualidade da Mãe Divina e, conseqüentemente, designa também a Kundaliní.


Shalabha
Gafanhoto. Em livros mal traduzidos do espanhol (da Argentina), encontra-se uma confusão de significado já que a palavra langosta significa tanto lagosta quanto gafanhoto (No castelhano da Espanha, gafanhoto é a tradução de saltamontes).


Shankara
Outro nome de Shiva. Literalmente, que causa bem estar ou felicidade. Nome de um Mestre do século VIII.


Shanti
Paz.


Shat chakra
os seis chakras.


Shat karma
Nome genérico dos seis kriyás clássicos.


Shava
Cadáver.


Shírahasta
Com as mãos à cabeça.


Shítálí
Nome de um respiratório lingual.


Shítkárí
Nome de um respiratório interdental.


Shiva
Nome do criador do Yôga. Significa: o auspicioso, o prospicioso, o benigno, o benevolente, etc. Representa o Terceiro Aspecto da Trimurti hindu. Seu atributo é a renovação. Alguns atribuem-lhe a destruição, já que para renovar é preciso destruir o que está ultrapassado.


Shúnyaka
Retenção do alento sem ar; uma fase do pránáyáma.


Siddha
O perfeito, aquele que possui os poderes.


Siddhi
O poder paranormal.


Simha
Leão.


Sirángúshtha
Com a cabeça tocando o dedo maior do pé (angushtha).


Siva
Costureiro.


Srí ou shrí
Anteposto aos nomes de pessoas ou coisas, é um sinal de respeito que equivale a: senhor, venerável, bem-aventurado, glorioso, santo, bendito, etc. Com relação aos nomes de pessoas aplica-se mais ou menos como o sir do inglês.


Sukha
Fácil, agradável.


Supta
Adormecido; por extensão, deitado ou de olhos fechados.


Súrya
Sol.


Sushumná
Uma das três principais nádís. Corresponde espacialmente à medula espinhal.


Swa
Seu próprio.


Swádhisthána
Fundamento de si mesmo. Nome do segundo chakra principal a contar de baixo para cima.


Swádhyáya
Estudo de si mesmo. É uma das prescrições éticas do Yôga Clássico. Constitui uma das partes do verdadeiro Kriyá Yôga, o de Pátañjali.


Swára
Alento, fôlego, em certo sentido pode significar ritmo pessoal para a execução de um respiratório; seu próprio ar.


Swásana
Seu próprio ásana, o melhor ásana para a pessoa que o está fazendo; estar bem sentado.


Swástha
Aquele que pratica o SwáSthya Yôga; aquele que tem saúde.


SwáSthya
Auto-suficiência, saúde do corpo e da mente, bem-estar, conforto, satisfação, etc. Em hindi, significa simplesmente saúde.


Swástika
Auspicioso. É também o nome da cruz gamada, antigo símbolo hindu.


Tala
Palmeira.


Tamas
Inércia.


Tantra
Pode ser traduzido como tecido ou rede. Segundo o Sanskrit- English Dictionary de Sir Monier Williams, página 442, Tantra significa, entre outras coisas, regulado por uma regra geral, o que tem muito a ver com a segunda característica do SwáSthya Yôga; segundo o The Concise Sanskrit-English Dictionary, Vasudeo Govind Apte, página 162, a maneira correta de fazer qualquer coisa, autoridade, prosperidade, riqueza; encordoamento (de um instrumento musical). Tantras são livros da Índia antiga, provavelmente de origem pré-ariana. O Tantrismo se caracteriza principalmente por ser matriarcal, sensorial e desrepressor. Aplicado ao Yôga, resulta no Tantra Yôga; aplicado ao Budismo, resulta no Budismo Tântrico; à arte, Arte Tântrica, etc.


Têjas
Fogo. Sinônimo de agni.


Trátaka
Exercícios para os olhos.


Tri
Três.


Trikôna
Triângulo.


Trimurti
Três faces ou três formas. Trindade.


Udána
Um dos cinco pránas. Este se situa na garganta e sua função é a deglutição.


Udara
Abdômen. Prefixo do shavásana frontal.


Upadana
Causa material em contraposição a Naimitika, causa eficiente. Por extensão pode significar afeto, amor, apego.


Upavishta
Sentado.


Úrdhwa
Alto, elevado, ereto. Em se tratando de ásanas, diz se dos que têm o corpo (geralmente todo) elevado ou suspenso.


Úrdhwásana
Passagem de ásana sentado para ásana em pé. Ato de levantar.


Ushtra
Camelo.


Utka
Agachado, de cócoras.


Uttara
Suplementar, acima; posterior; prefixo do shavásana dorsal.


Utthita
Suspenso, elevado.


Vajra
Bastão, raio, diamante. No caso do vajrásana, significa bastão, pois refere-se à posição da coluna vertebral que nesse ásana recebe um estímulo para manter-se espontaneamente bem ereta. Portanto, não é correto traduzir o vajrásana como “postura adamantina”. No caso da arte marcial Vajra Mushti passa a ser raio: soco (rápido) como um raio. E no caso do budismo, diamante: Vajrayana, a trilha do diamante.


Vakra
Curvo, tortuoso. Em ásana, diz-se dos de torção.


Vam
Bíja mantra do chakra swádhisthána.


Vámah
Lado esquerdo.


Váyu
Vento, ar. Em geral, diz-se dos yôgins fúteis e o Mestre confere esse nome aos discípulos inconstantes como o vento, aqueles que não conseguem seguir uma disciplina ou cumprir a tradição dos antigos.


Vêda
Nome das mais antigas escrituras do Hinduísmo. Provém da raiz vid, conhecer; pode ser traduzido como revelação.


Vijñána
Intuição, superconhecimento.


Vijñána máyá kôsha
Corpo ilusório feito de superconhecimento. Corresponde ao corpo mental superior.


Viparíta
Invertido, oposto, diferente.


Víra
Herói.


Vishnu
Segundo Aspecto da Trindade hindu. Seu atributo é a Conservação.


Vishuddha
Purificação. É o nome do chakra ou centro de força situado na garganta.


vrika
lobo.


Vriksha
Árvore.


Vrishka
Escorpião.


Yam
Bíja mantra do anáhata chakra.


Yama
Domínio. Pode designar as cinco proscrições de ordem ética que constituem o primeiro passo do Yôga de Pátañjali.


Yantra
Símbolo, mecanismo ou instrumento.


Yôga
União, no sentido de integração. Essa é a tradução universalmente aceita para a filosofia do Yôga. Pode significar também: equipe, veículo, transmissão, equipamento de um soldado, uso, aplicação, remédio, meio, expediente, maneira, método, meios paranormais, empreendimento, aquisição, ganho, proveito, riqueza, propriedade, ocasião, oportunidade, etc. Esta é a sua definição formal: Yôga é qualquer metodologia estritamente prática que conduza ao samádhi.


Yôgi
Referente ao Yôga. Aplicável também ao yôgin que já está identificado e dissolvido na filosofia do Yôga mediante a prática e dedicação exclusiva por um expressivo número de anos. O que atingiu o samádhi.


Yôgin
O praticante de Yôga.


Yôginí
A praticante de Yôga. Não confunda termos semelhantes com significados diferentes